Arquivo de maio, 2007

Cuidado. Se você receber um e-mail com arquivos de extensões .cmd, .bat, .scr ou .exe, pense duas vezes antes de abri-los. Você pode estar muito próximo de um código malicioso que, se aberto, será instalado no seu computador.

De acordo com especialistas de segurança, os arquivos acima são os mais usados por crackers para infectar sua máquina. Eles são propagados através de phishings, e-mails que se aproveitam de situações atuais, como promoções de telefonia, para espalhar textos seguidos por um link.

Ao invés de anexar arquivos suspeitos, que os servidores de e-mail bloqueiam, os phishings direcionam o usuário a um site onde o vírus é baixado.

A maioria dos arquivos disponíveis para download nos sites possuem as extensões .cmd, .bat, .scr ou .exe.

No caso das duas primeiras (.cmd e .bat), o usuário executa scripts conhecidos como arquivos batch. A principal propriedade destes tipos de arquivos é automatizar tarefas. Eles permitem que o cracker roube dados do usuário.

A extensão .scr se refere a protetores de tela, o que facilmente confunde o usuário e o leva a confiar no download do arquivo. O vírus é ativado assim que a proteção de tela é executada no computador.

A mais reconhecida entre as extensões – e ainda disseminada -, é a .exe. Apesar de saber o perigo óbvio de arquivos executáveis, quando convencido, o usuário não dá atenção à extensão do anexo que está baixando.

Um pouco mais raro é o uso da extensão .url, que é um arquivo de atalho para uma página da internet e não é bloqueado pelos servidores.

Os arquivos citados são, em sua maioria, cavalos-de-tróia e keyloggers. O primeiro abre a máquina para o atacante. O segundo identifica e grava tudo que é digitado, para posteriormente enviar os dados para o criminoso mal intencionado.

-> Leia a integra aqui 

Fonte: IDG Now

Anúncios

Brincando com Aliteração

Publicado: 21/05/2007 por Robert Lucas em Humor

O cara chega no restaurante, se senta e, acenando com o braço, diz:

– Faz favor, firmeza, fineza fazer frango frito???
– Pois não, com que, cavalheiro ?
– Farofa, feijão e fritas.
– Deseja beber alguma coisa ?
– Fanta.
– Um pãozinho para esperar a refeição???
– Faça fatiado.
– O garçom tira o pedido, já meio bolado. Puxa !!! O cara fala tudo com F !
– Depois que o sujeito termina a refeição,volta o garçom.
– Vai querer sobremesa ?
– Frutas frescas.
– Tem alguma preferência ?
– Figo.
Depois da sobremesa, o garçom: eis o que é a letra “F”
– O senhor deseja um café ?
– Forte
Quando o sujeito termina o café:
– E então, como estava o cafezinho ?
– Frio, fraco, fedorento e formiguinha flutuando
Aí; o garçom pensa: “Vamos ver até onde, ele vai com essa brincadeira…”
– Qual a sua graça ?
– Fernando Fagundes Faria Filho.
– De onde o senhor vem ?
– Fortaleza.
– O senhor trabalhava lá ?
– Fui ferreiro.
– Deixou o serviço, porque???
– Fui forçado.
– Por quê?
– Faltou ferro.
– E o que o senhor fazia ?
– Ferrolho, ferradura, faca… ferragem.
– O senhor torce por algum time ?
– Fui Flamengo.
– E deixou de ser por quê ?
– Fez feio.
– Qual é o seu time, agora ?
– Fluminense.
– O senhor foi casado ?
– Fui.
– E sua esposa ?
– Faleceu.
– De quê ?
– Frio e fome.
O garçom perde a calma:
– Escuta aqui, se você; falar mais dez palavras com a
letra F, pode levantar e ir embora sem pagar a conta.
– Foi formidável, figura. Fazendo fiado, fácil fico freguês freqüente.
O homem levanta e sai andando, e o garçom fala:
– Hei, espere aí !! Ainda falta uma !
O homem responde, sem se virar:
– Foda-se.

Quando em dúvida sobre a maneira correta de escrever uma palavra, você pode usar os seguintes recursos:

  1. Consultar um dicionário online – Eu sugiro o dicionário de Língua Portuguesa Priberam, que é grátis. Além disso, ele oferece a conjugação de 13 mil verbos.

  2. Consultar a Academia Brasileira de Letras – A maior autoridade ortográfica da Língua Portuguesa no Brasil é o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, de responsabilidade da Academia Brasileira de Letras. O que está ali é lei. Não há o que discutir. A academia também tem um serviço de respostas a dúvidas relativas à língua.

  3. Aprenda o básico de ortografia – Existem algumas regras – bem como suas muitas exceções – que facilitam sua vida se aprendidas. Procure dicas de ortografia, o sentido e o significado de ortografia, o uso correto das consoantes e vogais e suas combinações e tudo o mais que você puder encontrar e então você passará a cometer cada vez menos erros.

  4. Consultar o Google – Se estiver em dúvida sobre o modo certo de escrever a palavra, o Google pode sugerir a forma certa de escrevê-la, às vezes, no topo dos resultados. Já achei esse recurso um tanto intrometido, mas depois de ele ter me tirado de algumas cruéis encruzilhadas ortográficas, mudei de idéia.

  5. Coloque as palavras para brigar no Googlefight – Se a sua dúvida for entra duas formas de se escrever uma palavra, coloque-as para brigar no Googlefight. Em geral, a vencedora é a correta. O que prova que a maioria das pessoas ainda cuida de escrever com correção. Além disso, é divertido. Veja o resultado da luta entre a palavra exceção e a palavra excessão. Se a vitória for apertada, desconfie. Algumas palavras têm mais de uma forma correta de serem escritas e algumas grafias dão significados diferentes às palavras, como sessão e seção.

  6. Consultar um dicionário físico – Pode ser, por exemplo, o Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa. Não entrarei em picuinhas para discutir se esse ou aquele dicionarista é melhor.

  7. Instalar um dicionário eletrônico no computador – O Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa tem uma versão eletrônica que se integra a outros programas se o usuário quiser. Mais confiável que o corretor ortográfico que vem de fábrica nos editores de texto.

  8. Pergunte a alguém – Se esse alguém não souber, ao menos você vai instaurar a dúvida e outra pessoa além de você aprenderá algo.

  9. Use sempre mais de um dos métodos sugeridos – Só assim você terá certeza e ainda terá a chance de fazer descobertas inesperadas sobre as palavras.

Fonte: http://www.alessandromartins.com/

Desktop 3D – XGL + Compiz + KDE

Publicado: 16/05/2007 por Robert Lucas em Linux, Open Source

“Explicarei neste artigo uma forma fácil e rápida para a configuração de um Desktop 3D utilizando as ferramentas XGL + Compiz no gerenciador de janelas KDE. Um passo-a-passo de fácil entendimento para usuários iniciantes, intermediários e experientes.”

http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=6297

“Hoje com a grande divulgação e aceitação do sistema operacional Linux no mercado mundial de computadores pessoais, vemos a necessidade de ter todas as vantagens que o sistema do pinguim tem aliado a um visual cada vez mais atraente.

Com o apoio da “comunidade” temos hoje grandes nomes empenhados em melhorar cada dia mais o sistema Linux, empenhados em obter cada vez mais estabilidade, segurança e acessibilidade para atrair mais adeptos, e juntando tudo isto temos hoje a disposição alguns ótimos programas para manipulação de um Desktop 3D.

Neste artigo estarei demonstrando a instalação de um Desktop 3D básico, utilizando as ferramentas XGL, Compiz e o gerenciador de janelas KDE no sistema openSuSE 10.2. ”

Clique no link acima para ter acesso na integra do artigo disponibilizado no Viva O Linux

Aplicativos Linux para o dia-a-dia

Publicado: 16/05/2007 por Robert Lucas em Linux, Open Source

Este artigo visa informar sobre a grande gama de softwares disponíveis para a plataforma GNU/LINUX nas diversas áreas existentes. Tentarei aqui demonstrar alguns dos mais conhecidos e utilizados, são MAIS DE 140 APLICATIVOS, sendo recomendado a leitura para todos os níveis de usuários, desde iniciantes a profissionais.

http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=6393

“O Linux possui uma riqueza incomparável de aplicativos, oferecendo mais de uma solução à certas necessidades. A maior dificuldade esta em encontrar um aplicativo que sirva às suas necessidades. Como há inúmeros aplicativos para as mesmas funções eles apresentam certas características, estas que se adaptam ou não ao gosto do usuário, por isto temos tanta variedade de aplicativos disponíveis hoje em dia.

O fato de quase 100% dos aplicativos Linux serem Open-Source ajuda para que esta lista cada vez mais venha crescer. Dentre outras coisas os aplicativos Linux permitem serem alterados conforme as necessidades dos usuários, por termos acesso liberado ao código-fonte deles.

Mostrarei aqui algumas opções para uso no dia-a-dia tanto para usuários Desktop como Escritórios e Administradores de Rede. ”

Clique no link acima para ter acesso na integra do artigo disponibilizado no Viva O Linux

Humor: Cinco razões para não usar Linux

Publicado: 12/05/2007 por Robert Lucas em Humor, Linux

“Foi publicado no site Linuxwatch.com um artigo chamado ‘Cinco motivos para NÃO usar Linux’, o qual traz uma lista de possíveis razões que desqualificariam o uso do Linux, estabelecendo relação com comparações e argumentos frequentemente utilizados pela Microsoft. É muito engraçada a forma como foi escrito e sem dúvida, vale a pena ler! 🙂 Abaixo segue uma _tradução _livre_ do artigo que fiz rapidamente:

‘Eu amo Linux. Uso-o em meus servidores, desktops e em meu centro de entretenimento, onde ele roda em minha HDTV TiVo e em meu player de mídia D-Link DSM320, o que torna minha rede em uma biblioteca de mídia com terabytes de armazenamento. Diabos, eu ainda rodo Linux no meu access point Linksys WRT54G Wi-Fi, que faz com que tudo se conecte. Mas, Linux não é para todos. Sério. Aqui estão as cinco principais razões pelas quais acho que você não deveria migrar para Linux…’” A nota foi enviada por Leonardo Menezes Vaz (lmvazΘterra·com·br), que acrescentou este link da fonte para maiores detalhes.

Veja abaixo os 5 motivos. O artigo original em inglês acrescenta diversos links que aumentam o interesse (e a graça) do texto. Lembre-se de que é uma peça de humor “partidário”, mas pode também provocar reflexão – principalmente nos pontos em que as vantagens apontadas do Linux são excessivamente otimistas ou não se estendem ao conjunto completo das distribuições.

Razão número um: Linux é complicado demais. Mesmo com os ambientes de janelas KDE e GNOME, é possível — não comumente, mas eventualmente — que você precisará utilizar linha de comando vez ou outra, ou editar algum arquivo de configuração. Compare com o Windows onde, é possível — não comumente, mas eventualmente — que você precise utilizar linha de comando vez ou outra, ou editar o registro do Windows, onde eles costumam dizer a você, uma alteração errada pode destruir seu sistema para sempre.

Razão número dois: Linux é complicado de configurar. É verdade. Pois com distribuições modernas como Xandros Desktop ou SimplyMEPIS, você precisa colocar um CD ou DVD (no drive), pressionar a tecla enter, informar o nome do computador, e a senha para a conta do administrador. Deus, isso é difícil. Em contraponto, com o Windows, tudo que você tem de fazer é colocar o CD ou DVD (no drive), fazer tudo descrito acima, e então baixar imediatamente todas correções disponíveis. Pois a Symantec descobriu que um PC com Windows sem correções conectado à Internet irá durar poucas horas antes de ser comprometido. Sistemas Linux sem correções? Oh, eles duram meses, mas qual é a graça nisso?

Razão número três: Linux não tem aplicações suficientes. Realmente agora. Quero dizer, a maior parte dos sistemas Linux vem apenas com um Web Browser seguro, como o Firefox; clientes de e-mail como o Evolution; clientes para mensagens instantâneas como o GAIM; suítes de aplicativos para escritório, como o OpenOffice 2.0, editores para páginas Web como o Nvu e assim por diante… Microsoft, do outro lado, lhe dá o Internet Explorer e o Outlook Express, o browser e cliente de email mais populares do mercado — mesmo que eles tenham uns poucos probleminhas. Claro, Windows também tem um cliente de mensagens instantâneas, Windows Messenger, o qual assim como os outros, também tem alguns problemas. E, Microsoft também tem o Microsoft Office, o qual — espere, você não adquiriu-o com seu Sistema Operacional, certo? Você também não tem um editor de páginas Web, tem? Bem, ainda assim, com o Windows você consegue tantas alternativas de software, não? Como Lotus 1-2… Será? Não tenho certeza… Ou, WordPerfect… oh, acho que descontinuado também. Ainda assim, enquanto você queira rodar programas da Microsoft pagando por eles, o Windows é o sistema operacional para você!

Razão número 4: Linux não é seguro. Se a Microsoft diz, deve ser verdade! E daí, se você pode passar uma semana inteira apavoradamente sem ler sobre outro problema de segurança do Windows na área sobre segurança da eWEEK.com! Em quem você iria confiar — na Microsoft, ou em seus próprios olhos?

Razão número 5: Linux é mais caro. Você está chamando a Microsoft de mentirosa? Empresas como a Red Hat ou Novell/SUSE lhe cobram um valor por seu suporte. Outras, como a Linspire vendem seu produto. Como eles ousam, quando você pode baixar gratuitamente, versões completamente funcionais de praticamente todas distribuições Linux. Por outro lado é quase certo que seu computador tenha vindo com Windows pré-instalado! De graça! Espere, não é gratis? Na verdade o Windows é parte do preço do seu PC? Hmmm. Bem, ainda assim, ele já está lá e tem tudo que você precisa. Certo? Claro que sim! Exceto, é claro, você ainda poderia querer comprar um programa Anti-Vírus (Norton Anti-Virus: US$40), um software Anti-Spyware (McAfee Anti-Spyware: US$25); e um firewall completo (Zone Alarm Pro: US$35). Mas quem precisa disso quando se tem um sistema seguro como o Windows!

Então… Quando você for pensar sobre isso, poderá ver por que existem tantos motivos para não usar Linux. Só não há nenhum outro bom.

–Steven J. Vaughan-Nichols’”