Arquivo de outubro, 2008

Aos 23 anos que venho entender completamente o porque de muitos profissionais em informática indagarem que a profissão que levam causa muito estresse, e vou tentar relatar alguns pontos que levam a esta situação.

Quando iniciei profissionalmente na informática, aos 15 anos – foi quando obtive meu primeiro certificado de Técnico em Manutenção de Micros – era tudo muito legal, eu estava aprendendo muita coisa, descobrindo outras, e repassando o que eu obtive de conhecimento para quem de interesse, era legal, era interessante, chegava a ser até mesmo desafiador, foram passando os anos, as coisas foram se repetindo, pouca coisa mudando, chegou o momento de optar por um curso na faculdade que eu gostaria de fazer, e adivinhem, não, não foi nada ligado a informática, foi Direito, isso aos meus 17 anos, apenas 2 anos trabalhando na informática e já sabia que ali não seria uma área muito interessante para mim. Passei na faculdade e 2 anos depois tive que largar os estudos, pra levar minha empresa mais a sério, afinal, ali estava algo que me interessava muito, o mundo dos negócios, infelizmente tive que parar com as atividades da empresa também, e voltei algum tempo após para a informática, é, ali estava uma área que eu não gostava muito, mas que me dedicava bastante a conhecer e aprender sobre ela, conclusão, eu sempre me dei bem com a tecnologia.

Recebi uma proposta interessante para dar aulas de informática básica em outra cidade, pensei bem, até aquele momento nunca havia dado aulas, muito pelo contrário, achava até mesmo que não tinha paciência para fazer isso, mas aceitei o convite, afinal, era uma grana interessante e um desafio melhor ainda – e pessoalmente, adoro desafios -, eram 13 horas de trabalho diários, e com isto conheci bastante pessoas. Com o tempo fui ganhando território na cidade, onde até então contava apenas com 1 pessoa que fazia a manutenção dos computadores de toda a cidade, fui aos poucos pegando um servicinho aqui, outro ali, uma indicação aqui, outra lá, um cartão meu em um canto, em outro e assim fui sendo conhecido pelo meu trabalho em informática, até os dias de hoje.

Já razoavelmente conhecido na cidade, foi que começou a me aparecer certas coisas que antes nem mesmo me tocava, devido a não periodicidade com que aconteciam, como já tinha uma boa gama de clientes e meu telefone foi sempre o mesmo desde que cheguei na cidade, começou a aparecer mais serviço que eu conseguia atender, até ai, tudo bem, agenda um aqui, outro ali, faz um serviço mais rapidinho pra poder atender mais um cliente, fica ate de madrugada por diversas noites por conta de solucionar e entregar a tempo o que foi pedido, até aí tudo normal, mas sempre aparecem aquelas “urgências mortais”, parece até que alguém vai morrer se o computador não funcionar o som, em pleno sábado às 20 horas, é aí que eu entro, ou melhor, é aí que todos querem que nós – os “caras da informática” – entremos.

Nós trabalhamos o dia todo, como qualquer outra pessoa, muitas das vezes dedicamos horas extras do nosso dia de trabalho para poder conseguir atender todo o serviço, mas as pessoas ainda assim se esquecem de que o “cara da informática” também se alimenta, namora, descansa, tem seus momentos de lazer, sabe falar sobre inúmeras outras coisas além de tecnologia e informática.

Acordo às 8 horas da manhã – o que é madrugada ainda pra mim – pra trabalhar o dia todo, até as 17 ou 18 horas, até mais dependendo da demanda, volto pra casa pra poder descansar e já me deparo com algum recado, ou telefonema, ou até mesmo a pessoa em minha casa a espera, perguntando se eu posso arrumar o computador dela que deu problema, muitas vezes um “Dê ok e pronto” já resolveria, sem eu ter de sair de minha casa novamente, pra perder tempo e ir a residência de uma pessoa, mas a única coisa que nos falam é, “deu problema”, “aquele computar é uma mer…”, “aquilo não funciona”, e outras coisas mais. A pessoa presta tanta atenção no que acontece que não sabe nem mesmo nos explicar o que aconteceu, quando aconteceu e se foi apenas uma vez ou toda vez acontece, afinal, o “cara da informática” pode ir lá as 21 horas, após um dia cansativo de trabalho, pra resolver o problema. O “cara da informática” pode atender os problemas no seu computador no horário do seu almoço, sim, ele pode, afinal, ele não almoça, ele nem mesmo sabe o que é isso, ele pode ir a sua casa quando você chegar do trabalho, afinal, de nada custa ele atender um cliente após o seu expediente de trabalho. E ai do “cara da informática” cobrar a mais por fazer atendimento após o horário de trabalho dele.

Se o computador deu problema em pleno sábado às 19 horas, porque não ligar para o “cara da informática” e atrapalhar ele em seu horário de descanso, namoro ou lazer, pedindo com aquele jeitinho todo humilde para que ele venha consertar o computador imediatamente, porque a pessoa tem que conversar com o namorado pelo MSN, ou mesmo saciar o vicio em dar uma espiadinha no Orkut alheio, isso é muito mais importante para a pessoa e nosso – meu –  namoro que se dane, meu futebol no fim de semana que se lasque, afinal, o “cara da informática” não vai se importar se eu levar o meu notebook lá no campo pra ele dar uma olhadinha e consertar o meu problema, ele é o “cara da informática”, vai fazer isso, eu sei.

A pessoa acorda cedo, começa a trabalhar no seu computador e as 7:15 o danado do computador trava, não dá outra, a pessoa não pensa 2 vezes em ligar para o “cara da informática” naquela mesma hora, pra ele poder ir até onde ela esta para resolver o problema. A pessoa só se esquece que enquanto ela foi dormir às 22 horas, assim que a novela acabou pra acordar as 6, o “cara da informática” foi dormir as 4 da madrugada pra poder entregar a tempo um serviço que já estava quase atrasado. Mas do que importa né, o “cara da informática” nem mesmo precisa dormir, ele é uma maquina igual às coisas com a qual trabalha.

Espero que depois disto, aprendam que o “cara da informática” também tem seus momentos, e não é porque ele trabalha com informática que quando está em seu horário de lazer ele tem de gostar de comentar sobre informática com outras pessoas e ficar sabendo daquela noticia que pra você é nova, mas que ele já sabe que aconteceria a pelo menos 1 mês atrás, e não se assuste se ele não te der atenção quando você começar a comentar sobre tecnologia com ele, talvez ele não esteja a disposição para esta conversa naquele momento, tente uma outra hora, quem sabe em horário comercial. ;]

É isto, eu sou um “cara da informática”, como outros muitos, mas como todos estes eu me alimento, descanso, namoro, durmo, me estresso, me esqueço e não estou disponível 24 horas no dia para falar de informática ou consertar o computador alheio. Espero que entendam que como um humano qualquer, nós, os “caras da informática” também nos interessamos por outras coisas além daquilo com que trabalhamos. Lembre-se disto.

Abraços do “cara da informática”.

*Este post foi formulado em cima de fatos ocorridos comigo, durante minha vida nesta atividade. Conte também algumas de suas histórias.

Anúncios
Notebook Intelbras i61

Notebook Intelbras i61

No dia 04/10 comprei meu novo notebook, dentro das opções disponíveis o melhor equipamento na loja, no momento era o Intelbras i61, fiquei por quase 2 horas analisando o produto, como não conhecia os produtos de informática da Intelbras, fiquei meio pé atrás, mas no final resolvi compra-lo.

Com um ótimo custo-beneficio o i61 vem equipado com:

Processador Intel Core 2 Duo T5750 2 ghz (2mb de cache)
Memória de 2gb DDR2
HD 120gb
Webcam 1.3 MegaPixels
DVD/RW
Fax/Modem
Rede
4 USB
Saída para monitor
Wireless
Bluetooth
PCI-Express Card
Leitor de Cartões
Tela de 14″ Widescreen

Com todo este equipamento o Intelbras i61 vem acompanhado com o sistema Fenix Linux instalado em seu HD.

Tudo muito bom, tudo muito lindo, mas vamos agora à verdadeira analise critica sobre tudo.

Quanto ao hardware em si não tenho muitos comentários, apenas que é uma ótima máquina, fizeram uma ótima harmonia entre os componentes, deixando uma máquina a primeira vista, frágil, mas por dentro uma gigantesca e robusta máquina, capacitada para trabalhos pesados e os mais leves também.

O Intelbras i61 tem um acabamento estético muito bom aproveitando bem os espaços disponíveis no equipamento, ele vem com cores básicas, preto (corpo), cinza e azul escuro (tampa traseira da tela) e seus LED’s na cor azul. Muito bom.

Vem acompanhado de um teclado ABNT2, muito bom e sensível, contando com teclas de acesso rápido para algumas funcionalidades.

O que ficou a desejar e muito neste equipamento foi seu Touchpad, que de sensível não tem nada e conta com um sério problema de instabilidade, inviabilizando seu uso sem um mouse externo, o touch começa a tremer, a andar, a dar cliques sozinho, a abrir programas sem mesmo vermos, devido a seus contínuos cliques não desejados. Então se o equipamento te interessou até o momento, já viabilize a aquisição de um mouse para o mesmo.

O Intelbras i61 conta com uma bateria de 6 células que tem durabilidade razoável para o equipamento que a acompanha, tendo durado mais de 2 horas de trabalho.

Agora vou falar do software. Ele vem com uma pré-instalação do Fenix Linux, que como um entusiasta e amante de Linux afirmo com prioridade, é um sistema que deixa MUITO a desejar, sem contar o descaso que é feito com o equipamente, pois sua pré-instalação uso uma partição de 40gb e deixa mais de 70gb de espaço em HD sem ao menos formatar, então um HD de 120gb nós enchergamos apenas os 40 da instalação do Fenix. O Fenix é um sistema FRACO literalmente, que imita o visual do Windows XP para agregar o maior número de novos usuários possíveis, mas esquece de focar na qualidade do que apresenta, não se preocupando com o visual, nem mesmo com o kernel do sistema (sim, eu observei todos os detalhes), o que me “forçou” a instalar o Ubuntu poucas horas após adquirir o Intelbrás i61.

Ironicamente o Intelbrás i61 que vem com instalação Fenix Linux tem como acompanhamento um CD de instalação de TODOS os drivers do sistema, porém, todos esses drivers são para Windows, (XP ou Vista, 32 ou 64 bits) isso mesmo, wireless, bluetooth, webcam e leitor de cartões eram todos emulados pelo NDISWAPER para que pudessem funcionar no Linux. E por outro lado um prato cheio para que todos possam adquirir o equipamento e em pouco tempo instalar o Windows.

Conclusão:

O Intelbras i61 é um super notebook, contando com ótimos dispositivos de hardware que suportam das mais simples as mais complexas atividades no seu dia-a-dia. Razoavelmente leve, com apenas 2,3kg e monitor de 14″, lhe dá uma mobilidade ótima e garante seu serviço a qualquer hora e local. Tendo um preço bem razoavel, contando com um custo-beneficio ótimo. Recebendo uma nota 9 pelo seu conjunto.
Aconselho àqueles que estejam procurando por um notebook com um hardware mais robusto, darem uma conferida no Intelbras i61, não vai decepcioná-los.

Então é isto, como não havia encontrado nada na internet toda falando sobre este equipamento, espero que ele seja de bom uso para vocês.

EDITADO: Confira o MANUAL DO NOTEBOOK INTELBRAS I61, clicando aqui

Em uma das minhas visitas diárias a blogs pela net me deparei com este artigo (em inglês) muito interessante, que nos dá 50 alternativas de softwares livres para 50 softwares proprietários que muitos usam no dia-a-dia.

É um artigo muito interessante principalmente para empresários que estão adaptando seus parques tecnológicos com softwares livres, mas também muito útil para usuários domésticos que ainda não conhecem alternativas aos aplicativos que usam – usavam – cotidianamente.

Posso citar ótimas alternativas demonstradas no artigo como:

Internet Explorer = Firefox
Microsoft Office = OpenOffice
Adobe Photoshop = GIMP
Adobe Illustrator = Inkscape
AutoCAD = Archimedes
Adobe DreamWeaver = NVU
Microsoft FrontPage = BlueFish
Live Messenger = aMSN
AIM = Pidgin
Microsoft Outlook = Thunderbird
Windows Media Player = Miro

Dentre outras inúmeras opções mais.

A alguns meses atrás escrevi um artigo no Viva O Linux com o título Aplicativos Linux para o dia-a-dia onde mostro 140 opções de software livres para serem usadas no nosso dia-a-dia, é um bom complemento ao meu ver para os aplicativos mencionados no artigo de alternativas.

Façam bom proveito das dicas e opções demonstradas nestes dois artigos deste post.

O objetivo desse script é executa-lo uma única vez e deixar o Ubuntu pronto para uso segundo minhas próprias definições.

Ele segue a cartilha do artigo “Ubuntu Perfeito – versão 8.04″ e contém muitas novas adições. Eu tentei dar o esmero em vários pontos do script, por exemplo, alguns pacotes eu testo para saber se eles estão dentro do repositório e se não estiverem então faço o download diretamente dos arquivos .deb. Também é verificado se o pacote já não se encontra instalado antes de iniciar um download enorme. Muitas etapas como o suporte a mapeamento à unidades de rede requer que usuarios estejam dentro do grupo [fuse] e o script faz isso, idem para o VirtualBox [vboxusers] e programas que exibam o nivel de tinta de impressoras [lp].

Ele ainda não está terminado, mas estou disponibilizando para testes.
Não há nada de nocivo no script, ele é um monte de IFs, APT, WGET e só foi testado no Ubuntu Intrepid(8.10) e Ubuntu Hardy (8.04), mas suspeito que funcione em todas as distros baseadas em Debian.

Apesar de ter sido escrito em bash-script, ele faz pleno uso do utilitário chamado zenity que responsável por dar uma camada de interface gráfica ao dialogar com o usuário usando checkboxes, checklist, warnings e afins.

Confira post completo aqui

Fonte: Hamacker’s Palace